Editorial v. 9, n 1, 2020

Luis Eduardo Bove de Azevedo, Jorge Silva de Andrade

Resumo


EDITORIAL HISTÓRIA E CULTURA, V. 9, N. 1 (2020)

 

Este primeiro número publicado em 2020 da Revista História e Cultura, publicação semestral editada pelos alunos do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus Franca, conta com o dossiê intitulado Por uma história dos sertões: novas perspectivas e temporalidades sobre o “Brasil profundo”, no qual os leitores poderão se debruçar em uma série de artigos escritos a partir de diferentes objetos: a literatura, a arte, a imprensa ou especificamente a História.

O termo “sertão” é amplamente debatido pelos seus autores, perpassando distintas temporalidades e espaços, os quais abarcam desde o século XVI até os dias de hoje. Com isso buscamos, em conjunto com a Prof.ª Ms. Eliete Lucia Tiburski (UFRGS) e o Prof. Dr. Eduardo Wright Cardoso (PUC-Rio), organizadores deste dossiê, divulgar os trabalhos realizados em torno desta temática essencial para a História, destacando-se, também, o incentivo ao diálogo interdisciplinar, através dos estudos coloniais e pós-coloniais acerca dos sertões.

Dessa forma, na seção de Dossiê, composta por quinze artigos, apresentamos discussões, dentre outas, que tratam da atribuição de valor aos testemunhos históricos, pensando-se nos processos de construção de monumentos que dialogam com a interiorização do país, assunto este essencial nos debates da contemporaneidade, os quais ganharam corpo nos últimos dias. A partir disso, podemos analisar as diferentes narrativas históricas construídas e essenciais para o melhor entendimento de nossa realidade.

Assuntos, de substancial relevância, acerca dos aspectos físicos e geográficos também estão presentes neste número, destacando-se características hídricas que envolvem algumas das principais secas vivenciadas no Nordeste brasileiro, apresentadas por diferentes olhares, inclusive o literário.

Questões como a religiosidade e colonização, os territórios e fronteiras, a politização e a moda, construídas a partir de abordagens que tratam do domínio dos espaços do sertão, também serão destacadas ao longo deste número. Com esta seção buscamos contribuir, de forma imprescindível, aos estudiosos que caminham na ânsia de conhecer um pouco mais sobre o sertão e/ou os sertões, não apenas àquele comumente associado à região Nordeste do país, mas também ao que foi alcançado com o avanço das fronteiras nacionais, com a busca por produtos que garantissem o desenvolvimento do país, desde o período colonial, até as interpretações observadas mais recentemente, em um conjunto de análises levantadas por pesquisadores das mais variadas regiões do Brasil.

Em conjunto com a seção de Dossiê, encontra-se presente em nossa publicação, também, a seção de Artigos Livres, na qual contamos com dez artigos com temáticas variadas, ampliando, dessa forma, nossa abrangência e incentivo aos estudos históricos, a fim de que nossos leitores possam encontrar assuntos pertinentes aos campos de pesquisa e, futuramente, também possam contribuir com seus trabalhos em nossa Revista.

Alguns dos assuntos que poderão ser encontrados nessa seção partem desde o período Medieval, até o século XX, refletindo sobre a arte, a literatura, a religiosidade, as representações de poder, os movimentos político-sociais, o conhecimento científico, a cultura popular (por exemplo, o futebol) e as questões educacionais e suas implicações políticas.

Esperamos, com isso, alcançar os mais diversos interesses de pesquisa de nossos leitores, bem como estimular novas discussões no que tange à história dos sertões e, ademais, ampliar a troca de conhecimentos entre a comunidade acadêmica nacional e internacional.

 

Desejamos a vocês uma ótima leitura!

 

Corpo Editorial da Revista História e Cultura.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3275

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3275.g2761

 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons