O INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA POLÍTICA (INCP): UMA “ESCOLA DE PATRIOTISMO” NO ESTADO NOVO (1940-1945)

Veronica Vieira Martinelli

Resumo


Resumo: O presente artigo tem por objetivo analisar a trajetória do Instituto Nacional de Ciência Política (INCP), entidade civil que atuou entre os anos de 1940 e 1945. A partir da pesquisa nas páginas das revistas Visão Brasileira e Ciência Política, pretende-se compreender como se deu a formação e a estruturação do INCP; além de examinar os diferentes níveis de participação no seu interior, suas diretrizes nacionais e seu programa de atuação na sociedade brasileira, elementos importantes para estabelecer a identidade e os objetivos desse órgão que se definia como uma “escola de patriotismo” a serviço da nação. Com o auxílio conceptual de Sirinelli (2003), buscaremos interpretar o INCP enquanto “espaço de sociabilidade”, e seus membros como “intelectuais mediadores”, a fim de melhor compreender o papel desempenhado por essa instituição no contexto do Estado Novo e a relação desses intelectuais com o regime.

Palavras-chave: Instituto Nacional de Ciência Política; intelectuais; Estado Novo.


Texto completo:

PDF

Referências


A SEÇÃO DO Instituto Nacional de Ciência Política em Niterói. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 4, p. 63-64, fev. 1941.

ATIVIDADES DO INSTITUTO Nacional de Ciência Política: fundação das seções do Estado do Rio Grande do Sul. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 10-11, jan. 1941.

CALDAS, Manuel de Azambuja. Preparação psicológica para a vitória e para a paz futura das nações do mundo. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 8, n. 6, p. 74-81, jun. 1944.

CHACON, Vamireh. Estado e povo no Brasil: as experiências do Estado Novo e da democracia populista (1937-1964). Rio de Janeiro: José Olympio, 1977.

FARIA, Luiz de Castro. Oliveira Vianna: de Saquarema à Alameda São Boaventura, 41 – Niterói. O autor, os livros, a obra. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

FILHO, Mauricéia. Estado Novo – Inspirador de cultura. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 65-67, jan. 1941.

GOULART, Silvana. Sob a verdade oficial: ideologia, propaganda e censura no Estado Novo. São Paulo: Marco Zero, 1990.

GRANDE, Humberto. Diretrizes nacionais. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 11-12, nov. 1940a.

GRANDE, Humberto. Diretrizes do novo mundo. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 10-12, set. 1941a.

GRANDE, Humberto. Escola de patriotismo. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 5-7, dez. 1940b.

GRANDE, Humberto. Revolução e reconstrução. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 5, p. 13-14, mar. 1941b.

IDEIA E AÇÃO. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 5, p. 3-5, mar. 1941.

INSTALADA, NO AMAZONAS, a secção do Instituto Nacional de Ciência Política. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 8, n. 4, p. 101-102, abr. 1944.

INSTITUTO NACIONAL DE Sciencia Política. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 06, 09 jul. 1940a.

INSTITUTO NACIONAL DE Sciencia Política. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 10, 11 jul. 1940b.

INSTITUTO NACIONAL DE Sciencia Política. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 06, 14 jul. 1940c.

INSTITUTO NACIONAL DE Sciencia Política. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 06, 23 jul. 1940d.

INSTITUTO NACIONAL DE Sciencia Política. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 25, ago. 1940e.

INSTITUTO NACIONAL DE Sciencia Política. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 09, 28 nov. 1940f.

MICELI, Sergio. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

OTTONI, Pio B. Compreensão, sinceridade e fidelidade. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 5, p. 141-145, mar. 1941.

PALAVRAS DO DR. Getúlio Vargas. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 3-4, dez. 1940.

PÉCAUT, Daniel. Os intelectuais e a política no Brasil: entre o povo e a nação. São Paulo: Ática, 1990.

RÉMOND, René. Uma história presente. In: RÉMOND, René. Por uma história política. Rio de Janeiro: FGV, 2003, p. 13-36.

RIO, Pires do. Discurso inaugural. Visão Brasileira, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 50-51, ago. 1940.

SIRINELLI, Jean-François. As elites culturais. In: RIOUX, Jean-Pierre; SIRINELLI, Jean-François. Para uma história cultural. Lisboa: Editorial Estampa, 1998, p. 259-279.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: RÉMOND, René. Por uma história política. Rio de Janeiro: FGV, 2003. p. 231-269.

VELLOSO, Mônica Pimenta. Cultura e poder político: uma configuração do campo intelectual. In: OLIVEIRA, Lúcia Lippi; VELLOSO, Mônica Pimenta; GOMES; Angela Maria de Castro. Estado Novo: ideologia e poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1982. p. 71-108.

VELLOSO, Mônica Pimenta. Os intelectuais e a política cultural do Estado Novo. Rio de Janeiro: Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, 1987.

VERGARA, Pedro. A inteligência a serviço do Estado. Visão Brasileira, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 1-4, ago. 1940.

VERGARA, Pedro. Acreditemos em Getúlio Vargas. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, p. 5-11, mar. 1944.

VERGARA, Pedro. Antecipando a justiça histórica. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 10, n. 3, p. 7-14, mar. 1945.

VERGARA, Pedro. In: ABREU, Alzira Alves de et al. Dicionário histórico-biográfico brasileiro pós-1930. Rio de Janeiro: FGV, 2001, v. 2, p. 6064-6065.

VERGARA, Pedro. Uma instituição a serviço do Brasil. Ciência Política, Rio de Janeiro, v. 5, n. 3, p. 3-10, out. 1942.

VERGARA, Pedro. [Correspondência]. Destinatário: Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 15 maio 1940g. Explica os fins a que se propõe o Instituto Nacional de Ciência Política e informa que esta iniciativa não entra em choque com a idéia de Lourival Fontes de criar uma Academia de Cultura Política. Disponível em: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/arquivo-pessoal/GV/textual/carta-de-pedro-fernandes-espinosa-vergara-a-getulio-vargas-explicando-os-fins-a-que-se-propoe-o-instituto-nacional-de-ciencia-politica-e-informand. Acesso em: 12 nov. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3169

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3169.g2760

 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons