Um Hermeneuta da Tradição Sertaneja: Ariano Suassuna e o Romance d’A Pedra do Reino

Juliana Rodrigues Morais

Resumo


O objetivo deste artigo reside numa análise do espaço histórico-social sertanejo presente na obra Romance d’A Pedra do Reino, de Ariano Suassuna. A singularidade dessa obra reside na desconstrução empreendida do sertanejo enquanto antítese do sujeito moderno; e na reapresentação desse mesmo sujeito enquanto veiculador de uma pluralidade de culturas e narrativas históricas. Com efeito, a forma e o conteúdo da obra se fundamentam nos folhetos de cordel, num processo que denominamos por “cordelização” do texto, consolidando Suassuna um hermeneuta de sua tradição. O campo teórico-metodológico reside numa hermenêutica do texto, centrada nas contribuições de Paul Ricoeur, buscando compreender os aspectos da narrativa que dão materialidade a um espaço histórico-social verossímil. Acredita-se, com isso, poder contribuir para uma (re)visitação de uma história dos sertões.

 

Palavras-chave: sertanejo; folhetos de cordel; histórias dos sertões; Estado-nação.


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, M. Histórias de Cordéis e Folhetos. Campinas, SP: Mercado de Letras: Associação de Leitura do Brasil, 1999.

ALBUQUERQUE JÚNIOR., D. M. A Invenção do Nordeste e Outras Artes. (5ª ed.) São Paulo: Cortez, 2010.

______. Palavras que calcinam, palavras que dominam: a invenção da seca do Nordeste (p.111-120) s/d, ANPUH. Disponível em: www.anpuh.org/arquivo/download?ID_ARQUIVO=3760

Acesso em 21 out. 2019

AMARAL JR., A. Sensualismo e Consciência Regional: o Nordeste freyriano. (227–232) Raízes, Campina Grande, vol. 21, nº 02, jul./dez. 2002. Disponível em: http://www.ufcg.edu.br/~raizes/artigos/Artigo_71.pdf Acesso em: 28 set. 2019.

ARARIPE Jr., T. O Reino Encantado – chrônica sebastianista. Rio de Janeiro: Bibliotheca da Gazeta de Notícias, 1878.

BARBOSA, M. “O Filósofo do Sentido e a Comunicação”. Conexão- Comunicação e Cultura, UCS, Caxias do Sul, v. 5, n. 9, jan./jun Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conexao/article/viewFile/209/200

Acesso em: 02 nov. 2019.

BOSI, A. História Concisa da Literatura Brasileira. (32ª ed.) São Paulo: Cultrix, 1994.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm

Acesso em 10 out. 2019.

CAIMI, C. Literatura e História: A Mimese Como Mediação. Itinerários, Araraquara, 2004.

Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/itinerarios/article/view/2737 Acesso em 02 nov. 2019.

CANDIDO, A. Literatura e Sociedade. (9ª ed.) Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

CASCUDO, L. da C. Literatura oral no Brasil . São Paulo: Global, 2012.

COSTA, J. da. Seca, Pobreza e Desertificação na Paraíba. Saeculum Revista de História, UFPB, Paraíba nº8/9 – jan/dez. 2002/2003. Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/11281/6395 Acesso em: 21 out. 2019.

CUNHA, E. da. Os Sertões: campanha de canudos. (2ª ed.) edição crítica de Walnice Nogueira Galvão. São Paulo: Editora Ática, 2001.

ESPÓSITO, R. Communitas: origen y destino de la comunidad. Buenos Aires: Amorrortu, 2003.

FREYRE, G. Como e Porque Sou e Não Sou Sociólogo. Brasília: Universidade de Brasília, 1968.

GASPAR, L. Sebastianismo no Nordeste Brasileiro. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com_content&view=artic le&id=419&Itemid=1 Acesso em 10 out. 2019.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. (5ª ed.) São Paulo: Atlas, 1999.

KEARNEY, R., Between Tradition and Utopia: The Hermeneutical Problem of Myth. in David Wood (org.). On Paul Ricoeur: Narrative and Interpretation. London: Routledge, 2002.

LIMA, N. T. Um Sertão Chamado Brasil: intelectuais e representação geográfica da identidade nacional. Rio de Janeiro: Revan: IUPERJ, UCAM, 1999.

______. História, Ciências, Saúde-Manguinhos. (vol.5) Rio de Janeiro, julho, 1998. Disponível em:

Acesso em: 15 mai.2015.

QUEIROZ, M. I. P. de. Identidade Cultural, Identidade Nacional no Brasil. Tempo Social, Revista de Sociologia da USP, São Paulo, 1989. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/83318 Acesso em: 29 out. 2019.

SANTIAGO, S. Situação de Ariano Suassuna In. Seleta em Prosa e Verso (4ª ed.) organização Silviano Santiago, Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.

SUASSUNA, A. Almanaque Armorial. (2ª ed.) Rio de Janeiro: José Olympio, 2008a.

______. Iniciação à Estética. (9ª ed.) Rio de Janeiro: José Olympio, 2008b.

______. Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e- Volta. (13ª ed.) Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

______. Seleta em Prosa e Verso. (4ª ed.) Organização Silviano Santiago, Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.

______. Sociologia e Filosofia da Cultura – Gilberto Freyre e a arte. Folha de São Paulo, Ilustrada, 11 set 2000.

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1109200016.htm Acesso em 30 out. 2019.

______. Ariano Suassuna – uma Entrevista. 2013. Disponível em: http://iela.cse.ufsc.br/?page=noticias_visualizacao&id=2323 Acesso em: 30 out. 2019.

RICOEUR, P. Tempo e Narrativa. [tomo I] Campinas, SP: Papirus, 1994.

______. Interpretação e Ideologias. (4ª ed.) organização, tradução e apresentação de Hilton Japiassu, Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990.

______. Compreensão de si e história, 1987. Disponível em: http://www.uc.pt/fluc/lif/publicacoes/textos_disponiveis_online/pdf/autocomprehension

_et_histoire Acesso em: 10 out. 2019.

VICTOR, A. & LINS, J. Ariano Suassuna: um perfil biográfico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3135

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3135.g2764

 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons