MARIA DAS QUENGAS: DEVOÇÃO E CRUZ “PERFUMADA” NAS NARRATIVAS DOS FIÉIS

Ruan Carlos Mendes

Resumo


Maria das Quengas, após ser morta de forma violenta no ano 1893, no interior do sertão cearense, passou a ser considerada como uma santa da comunidade que hoje é chamada de Pitombeira II - Russas, Ceará. Nesse texto, trataremos das narrativas em torno das graças alcançadas pelos devotos de Maria, buscando perceber a partir da cultura, como propõe Willians (2015), qual o lugar social desses sujeitos, quais as angústias e aflições das vivências dessas pessoas. Analisamos também como esses devotos e devotas se relacionam com o sagrado e com a cruz que marca o local da morte de Maria, para essa análise os escritos de Pereira (2005) sobre as devoções marginais foram imprescindíveis. Podemos concluir que não existem barreiras entre as devoções – sejam oficiais da Igreja ou “fabricadas” à margem pelos sujeitos – pois os fiéis fazem uso das duas dimensões de devoção sem distinção.


Texto completo:

PDF

Referências


CÂNDIDO, Tyrone Apollo Pntes; NEVES, Frederico de Castro (Org.). Capítulos de História Social dos Sertões. Fortaleza: Plebeu Gabinete de Leitura Editorial, 2017.

CERTEAU, Michel. A Escrita da História. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

DEL PRIORE, Mary. Do outro lado: a história do sobrenatural e do espiritismo. São Paulo: Planeta, 2014.

FENTRESS, James Wickham. Memória Social. Lisboa: Teorema, 1992.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 1988.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

LE GOFF, Jacques. Em busca do tempo sagrado Tiago de Varazze e a Lenda dourada. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

LIMA, Francisca Rosa de. Entrevista concedida a Ruan Carlos Mendes. Russas- CE, 02 de julho. 2013 (Acervo pessoal)

LIMA, Valdir Araújo de. Entrevista concedida a Ruan Carlos Mendes. Russas- CE, 17 de julho. 2013 (Acervo pessoal)

MARTINS, José de Souza. A morte e os mortos na sociedade brasileira. São Paulo: Editora Hucitec, 1983.

MENDES, Ruan Carlos. Maria das Quengas: a construção de uma devoção popular no município de Russas- CE. 2018. Dissertação (Mestrado Interdisciplinar em História e Letras). Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central. Universidade Estadual do Ceará. Quixadá, 2018.

MOREIRA, Alba Maria Bandeira. Entrevista concedida a Ruan Carlos Mendes. Russas- CE, 17 de julho. 2013 (Acervo pessoal)

PEREIRA, José Carlos. Devoções Marginais: interfaces do imaginário religioso. Porto Alegre: Zouk, 2005.

PORTELLI, Alessandro. História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

RAMOS, Francisco Régis Lopes. O Verbo Encantado: a construção do Pe. Cícero no imaginário dos devotos. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 1998. P. 11-48.

SANTOS, Cícero Joaquim dos. A morte de Rufina: usos da memória. In JÚCA, Gisafram Nazareno Mota. Memória entrecruzadas: experiências de pesquisa. Fortaleza: UECE, 2009.

SANTOS, Cicero Joaquim dos. No entremeio dos mundos: tessituras da morte da Rufina na tradição oral. 2009. Dissertação (Mestrado em História e Culturas)- Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza. 2009.

SILVA, Francisca Maria de Freitas. Entrevista concedida a Ruan Carlos Mendes. Russas- CE, 11 de julho. 2013 (Acervo pessoal)

SILVA, Rosa Pascal da. Entrevista concedida a Ruan Carlos Mendes. Russas- CE, 03 de agosto. 2013 (Acervo pessoal)

THOMPSON, E. P. O termo ausente: experiência. In: THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1981.

WILLIANS, Raymond. A ideia de uma cultura comum. In: WILLIANS, Raymond. Recursos da esperança: cultura, democracia, socialismo. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

WILLIANS, Raymond. Dominante, Residual e Emergente. In: WILLIANS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.




DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3120

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3120.g2770

 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons