Do vazio incógnito a problema nacional: o Nordeste brasileiro sob o olhar politécnico, 1877-1909

Yuri Simonini

Resumo


O artigo aborda as primeiras abordagens, entre 1877 e 1909, sobre o entendimento do Nordeste a partir de sua principal característica físico-geográfica, as irregularidades geográficas. As secas de 1877 repercutiram em todo o país, transformado a calamidade em questão nacional. Os simples socorros emergenciais foram substituídos por ações de intervenção sistematizada, mas se fez necessário que os debates ocorridos nos fóruns acadêmicos fomentassem as condições de seu entendimento, ou seja, primeiro deveria conhecer antes de agir. A pesquisa documental nos relatórios ministeriais e técnicos, periódicos especializados e publicações da época demonstra as potencialidades e limites das ações na região, diante de propostas conflitantes, mas cujo conjunto ajudou a delinear o que, atualmente, é denominado de Nordeste.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Miguel Calmon du Pin. Relatorio Apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brazil pelo ministro de estado dos Negocios da Industria, Viação e Obras Publicas, no anno de 1907. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1907, v. 1.

______. Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brazil pelo ministro de estado dos Negocios da Industria, Viação e Obras Publicas, no anno de 1908. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1908. v. 1.

______. Relatorio Apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brazil pelo ministro de estado dos Negocios da Industria, Viação e Obras Publicas, anno de 1909. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1909. v. 3.

BRASIL, Thomaz Pompeu de Souza. O Clima e as Secas do Ceará. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional, 1877. In: ROSADO, Vingt-Un (org.). O nono livro das secas. Mossoró: Guimarães Duque, 1983. Coleção Mossoroense, v.285. Edição Fac-Símile.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil, de 24 de Fevereiro de 1891. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao91.htm. Acesso em: 03 dez. 2019.

BRAZIL. Collecção das decisões do Imperio do Brazil de 1884. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1885

CÂNDIDO, Tyrone Apollo Pontes. Trem da seca: sertanejos, retirantes e operários (1877-1880). Fortaleza: Museu do Ceará, 2005.

CRANDALL, Roderic. Geographia, Geologia, Supprimento d’Água, Transportes e Açudagens dos estados orientaes do Norte do Brasil, Ceará, Rio Grande do Norte, Parahyba. Rio de Janeiro: IOCS, 1910. Publicação n.4, Serie I, D, E.

DELSON, Roberta Marx. The Beginnings of Professionalization in the Brazilian Military: The Eighteenth-Century Corps of Engineers. The Americas, v. 51, n. 4, p. 567, abr. 1995.

FARIAS, Hélio Takashi Maciel. Contra as secas: a engenharia e as origens de um planejamento territorial no nordeste brasileiro (1877-1938). 2008. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.

FERREIRA, Angela Lúcia A.; DANTAS, George A. F.; SIMONINI, Yuri (ed.). Contra as secas: técnica, natureza e território. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018.

FERREIRA, Angela Lúcia A.; DANTAS, George A. F.; SIMONINI, Yuri. Cartografia do (De)Sertão do Brasil: Notas sobre uma imagem em formação Séculos XIX e XX. Scripta Nova, Barcelona, v. 16, n. 418(69), 1 nov. 2012.

MEDEIROS, Viriato. Ponderações sobre a memória do Dr. André Rebouças. Rio de Janeiro: Typ. Acadêmica, 1877.

MELLO, Evaldo Cabral. O Norte Agrário e o Império (1871-1889). 2.ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1999

MORAES, Kleiton de Sousa. O sertão descoberto aos olhos do progresso: A Inspetoria de Obras Contra as Secas (1909-1918). 2010. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010

MÜLLER, Lauro Severiano. Relatorio Apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brazil pelo ministro de estado dos Negocios da Industria, Viação e Obras Publicas, no anno de 1906. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1906.

NOBRE, Paulo José Lisboa. Combater as secas e defender as florestas. A natureza nos desafios da ciência e da técnica para modernizar o Brasil (1889 a 1934). 2012. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

OLIVEIRA, Alvaro J. Secca do Ceará. Açudes, arborização, estradas de ferro. Revista do Instituto Polytecnico Brasileiro, Rio de Janeiro, tomo 13, 1878.

PÁDUA, José Augusto. Um sopro de destruição: pensamento político e crítica ambiental no Brasil escravista (1786-1888). 2.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

PEIXOTO, Renato Amado. Os dromedários e as borboletas: uma análise da construção do território e da identidade no espaço regional por meio de um exame dos discursos acerca da ‘Comissão Científica de Exploração’ do IHGB (1855-1862). In: _______. Cartografias Imaginárias: estudos sobre a construção do espaço nacional brasileiro e a relação História & Espaço. Natal: EDUFRN, 2011, p.129-140.

POMPEU SOBRINHO, Thomaz. A História das Secas. Fortaleza: Coleção Instituto do Ceará, 1953.

REBOUÇAS, André. A Seca nas províncias do Norte. Rio de Janeiro: Tipografia de G. Louzinger & Filhos, 1877. In: ROSADO, Vingt-Un (org.). O nono livro das secas. Mossoró: Guimarães Duque, 1983. Coleção Mossoroense, v.285. p.126-278. Edição Fac-Símile

RELATÓRIOS e contas de subscrição promovida em favor das victmas da secca do Ceará pela Commissão Central Cearense organisada n’esta Corte em 7 de maio de 1877. Rio de Janeiro: Typ. e Lith de soares e Reis, 1879.

SILVA, Adriano Wagner. A construção do território das secas: as obras de açudagem (1880-1950). In: FERREIRA, Angela Lúcia A.; DANTAS, George A. F.; SIMONINI, Yuri (ed.). Contra as secas: técnica, natureza e território. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018, p.189-220.

SILVA, Adriano W.; SIMONINI, Yuri; FERREIRA, Angela Lúcia. Engenheiros criadores de chuva: a 'Escola Pluvífera' e o 'Gargalheiras'. In: ENCONTRO NACIONAL DE HISTÓRIA DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO, 3., e ENCONTRO NACIONAL DE GEOGRAFIA HISTÓRICA, 2012, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: PPGG/PosGeo, 2012, p. 1-19.

SIMONINI, Yuri. Ribeira, Técnica versus Natureza: transformações em prol de um “projeto” de modernização (1860-1932). Natal: EDUFRN, 2014.

SOUZA, Eloy. O calvário das secas. Mossoró: Coleção Mossoroense, 1976, v. 38. [1938].




DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3082

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v9i1.3082.g2767

 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons