A VIOLAÇÃO DA INTIMIDADE PELA DIVULGAÇÃO NÃO CONSENTIDA DE CONTEÚDO SEGUNDO O PRINCÍPIO DA INTEGRIDADE

Autores

  • Marina Nogueira Resende Silva

DOI:

https://doi.org/10.22171/rej.v20i32.2221

Resumo

O trabalho visa analisar a relação existente entre a facilidade com que a informação se transmite em uma sociedade globalizada, principalmente por meio da internet, e como este contexto favorece a divulgação de conteúdo íntimo sem que haja consentimento, sob a luz do princípio da integridade de Ronald Dworkin. O tema problema deste trabalho consiste no questionamento sobre de que forma a maioria tomará decisões injustas sobre direitos individuais e como isso afeta as vítimas da pornografia de vingança.  Para realização da pesquisa, utilizar-se-á o método documental, principalmente por meio de artigos científicos e livros. A imprescindibilidade de coerência em uma sociedade torna importante a busca de métodos para solucionar os casos mencionados de forma satisfatória, fazendo com que o Direito acompanhe o desenvolvimento da sociedade, afastando o contexto social que objetifica e culpa a vítima, possibilitando que casos semelhantes continuem ocorrendo; bem como tentar reduzir a possibilidade da maioria tomar decisões injustas sobre direitos individuais, garantindo os direitos da cidadania. Dessa forma, cria-se uma compreensão mais profunda sobre os comportamentos e entendimentos que culminam nesse tipo de violação, tornando-se mais fácil evitá-los.

Biografia do Autor

Marina Nogueira Resende Silva

Advogada regularmente inscrita na OAB/MG. Mestra em Direito nas Relações Econômicas e Sociais pelas Faculdades Milton Campos em Nova Lima/MG, e Pós-Graduanda em Direito Público pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Graduada em Direito pelas Faculdades Milton Campos. E-mail: marinanresende@gmail.com. Link do currículo pela plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/0873178842142245.

Downloads

Publicado

2018-06-12

Como Citar

SILVA, M. N. R. A VIOLAÇÃO DA INTIMIDADE PELA DIVULGAÇÃO NÃO CONSENTIDA DE CONTEÚDO SEGUNDO O PRINCÍPIO DA INTEGRIDADE. Revista de Estudos Jurídicos da UNESP, Franca, v. 20, n. 32, 2018. DOI: 10.22171/rej.v20i32.2221. Disponível em: https://seer.franca.unesp.br/index.php/estudosjuridicosunesp/article/view/2221. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Tutela e Efetividade dos Direitos da Cidadania